Filmes

A Forma da água – Crítica

19 de Março de 2018

poster do filme a forma da água

 

Década de 60. Em meio aos grandes conflitos políticos e transformações sociais dos Estados Unidos da Guerra Fria, a muda Elisa (Sally Hawkins), zeladora em um laboratório experimental secreto do governo, se afeiçoa a uma criatura fantástica mantida presa e maltratada no local. Para executar um arriscado e apaixonado resgate ela recorre ao melhor amigo Giles (Richard Jenkins) e à colega de turno Zelda (Octavia Spencer).

 

Título: A Forma da água (The Shape of water)

Diretor: Guillermo Del Toro

Ano: 2017

País: EUA

A Forma da água, ganhador do Oscar de melhor filme, não me surpreendeu tanto quanto eu esperava. Acho que minhas espectativas estavam muito altas e, por isso, o filme acabou me decepcionando um pouco na história. É um filme estremamente bonito. A fotografia e as atuações estão simplesmente incríveis. Porém, não é nada surpreendente ou novo.

O filme conta a história de Elisa, chamada de “A Princesa sem Voz”. Elisa é muda e sua melhor amiga e colega, Zelda, a empresta sua voz. Ambas trabalham em uma base secreta do governo Norte Americano como faxineiras.  Lá, Elisa conhece a “Criatura”. Um ser aquático capturado na Amazonia. Logo, Elisa se apega e cria um vínculo com a Criatura, que parece responder aos estímulos dela, como a língua de sinais e música.

Como eu disse, é um filme muito belo. Guillermo Del Toro sabe muito bem como construir uma fantasia/romance usando todos os elementos possíveis do cinema. O filme se utiliza de muitos elementos para falar sobre preconceito. Além daquela velha história de que o que importa é o interior. Ainda, existem diversas reflexões sobre o que é ser “humano”. Entretanto, fora esta maravilhosa mensagem, o filme é completamente previsível.

Basta assistir alguns minutos para saber onde a história vai dar. Isso me deixou um pouco decepcionada. Nem por isso deixei de aproveitar o filme até o fim. Achei o filme merecedor do Oscar de melhor Direção de Arte, pois as imagens são maravilhosas. Não achei justa a indicação de Melhor Roteiro Original, pois não achei tão original assim, mas enfim, o filme não ganhou nesta categoria. Fiquei com vontade de ler o livro, talvez me impressione mais.

E vocês, já assistiram? Não deixem de conferir os outros filmes que aparecerão por aqui no Desafio Oscar de Março e também os que já passaram em Fevereiro.

Beijos!!

Comentários

comentários

Only registered users can comment.

  1. Olá!
    Ainda não assisti ao filme mas com todos os comentários a respeito dele, fico muito curiosa. Já é a segunda resenha que vejo de alguém que não achou o filme o mais incrível do mundo, mas fico feliz que apesar dos pesares, você conseguiu aproveitá-lo do mesmo jeito.
    Acabei de conhecer seu blog e achei ele lindo! Parabéns pelo trabalho. Espero voltar novamente!!
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *