Resenha A Hospedeira - Stephenie Meyer
Resenhas

[Resenha] A Hospedeira – Stephenie Meyer

31 de Janeiro de 2018

Capa do livro A Hospedeira de Stephenie Meyer

 

Título: A Hospedeira (The Host)

Autor: Stephenie Meyer

Editora: Intrínseca

Páginas: 557

Adicione no Skoob

Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a alma invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretando, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam. 

Olá! Li A Hospedeira depois de ter lido Crepúsculo, pois me surpreendi muito com a escrita da autora e tive vontade de conhecer outras obras dela. No início não tinha muitas esperanças de gostar, pois a sinopse me deixou um pouco com o pé atrás, mas ao chegar no final do livro já estava totalmente envolvida com a história. 

Peregrina é uma alienígena que habita e comanda o corpo de Melanie. Ela é chamada assim pois já viveu em inúmeros planetas, muitos mais do que outros alienígenas já viveram. Esses habitantes pequenos e translúcidos escolheram vir para a terra por considerarem os humanos bárbaros e acreditarem que poderiam viver melhor do que nós em nosso planeta. 

“Eu era a alma de que eles falavam. Era uma nova conotação da palavra, termo que tinha significado muitas outras coisas para minha hospedeira. Em cada planeta tínhamos um nome diferente. Alma. Acho que é uma descrição adequada. A força invisível que guia o corpo.” 

 

Melanie era uma humana resistente, por isso foi escolhida a “alma” mais experiente para habitar seu corpo e domá-la. Mas peregrina logo se viu cercada por pensamentos e vontades que não eram inteiramente seus e não consegue controlar o turbilhão de emoções humanas enfrentado pelo seu corpo. 

Acho que a parte mais diferenciada dessa história é que os alienígenas tentavam, de certa forma, serem bons. Eles viram o quando a humanidade era má e acharam que seria uma coisa boa se habitassem seus corpos e começassem a viver de um modo melhor. 

“- Foi assim que descobri vocês sabia? Quando o noticiário das oito tornou-se nada mais que histórias inspiradoras de interesse humano. Quando pedófilos e drogados começaram a fazer fila nos hospítais para se entregarem, quando tudo se metamorfoseou na Mayberry do programa Andy Griffth, foi aí que eu saquei a mão de vocês. 

– Que mudança terrível! – disse secamente.” 

 

A Hospedeira é narrado em primeira pessoa por Peregrina. Tem seus pontos altos e emotivos. Meyer foi muito feliz com a escrita e isso fez com que eu me apegasse muito aos personagens, me emocionando em diversas partes do livro. Altamente recomendável! 

E vocês, já leram? Comenta aqui! Beijos!!

Comentários

comentários

Only registered users can comment.

    1. Oi!! Sabe que eu não gosto nem um pouquinho do filme? É bem parado e não é emocionante como o livro. Super sem sal.
      Mas isso pra mim é bem comum. Tanto que eu parei de assistir qualquer filme que tenha um livro (risos).
      Se você conferir algum, vem dizer o que achou. Beijos!! Obrigada por comentar!

  1. Oi, Annie! Tudo bom? ^-^
    Confesso que tenho esse livro parado na estante desde a época que lançou, mas depois de tentar ler uma vez e a coisa não ter fluído muito bem, acabei desistindo de uma segunda tentativa e desde então o coitadinho tá abandonado.
    Apesar de amar calhamaços, acho que a diagramação desse livro não foi lá das melhores. Não sei se pela minha miopia, ou se a fonte é minúscula mesmo, mas eu achei realmente desconfortável de ler. Quando o momento certo para dar a segunda chance a esse livro chegar, provavelmente vou tentar o ebook, já que a fonte é ajustável, o que torna a leitura muito mais confortável.
    Espero gostar tanto quanto gostei da saga Crepúsculo. Apesar das falhas, a escrita da Stephenie Meyer é realmente ótima <3

    Um super beijo e uma ótima semana! :*

    1. Oi Rafaela! Tudo ótimo e com você?
      Eu não sei como é a edição física porque li o ebook no idioma original e como você falou o ajuste das letras é ótimo.
      Já que você conhece bem a escrita da autora acredito que vá gostar. Crepúsculo me surpreendeu muito!!
      Quando você ler, me conta o que achou.
      Beijos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *