Resenhas

O Diabo Veste Prada – Lauren Weisberger [Resenha]

13 de Março de 2018

Andrea Sachs é uma jovem recém-formada que conquista um emprego que deveria deixar roxas de inveja milhares de garotas: o de assistente de Miranda Priestly, reverenciada editora da revista Runway Magazine, a mais bem-sucedida revista de moda do momento. Logo ela percebe, porém, que o emprego pelo qual um milhão de garotas dariam a vida para ter pode simplesmente acabar com ela. De uma hora para outra, a jovem jornalista se vê num escritório onde as palavras Prada, Armani e Versace são lei e começa a conviver de perto com o fascinante mundo da moda. Fascinante, mas nem tão glamouroso assim. Ela logo percebe que, em lugar de escrever reportagens e editoriais de moda, seu trabalho na Runway será o de atender aos caprichos da chefe. Miranda é a personificação do pesadelo para Andrea.

Título: O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada)

Autor: Lauren Weisberger

Editora: Anchor Books (Lido em inglês)

Páginas: 448

Olá, Foxes! Voltando a ativa após o Chá de Bebê. Essas últimas semanas foram uma correria gigante que vocês não tem nem como imaginar! (risos)

Bom, O Diabo Veste Prada foi o primeiro livro que abandonei em toda a minha vida. Já existiram diversos livros dos quais eu não gostei, mas eu sempre li o livro até o fim. Assim, eu poderia ter bons argumentos sobre não ter gostado do livro, ou até mesmo, quem sabe o final me surpreendesse e eu acabaria gostando?

“O diabo veste Prada” não foi um desses livros, infelizmente eu não consegui achar forças para lê-lo até o fim. Às vezes eu me pergunto se foi a diagramação e alguma outra edição me agradasse mais, mas tenho muito medo de gastar com algo que já tenho e novamente não gostar. Até porque eu tentei ler o livro não apenas uma, mas três vezes.

Andrea é uma garota simples com o sonho de tornar-se jornalista. Ela acredita que seu sonho foi alcançado quando finalmente é chamada para uma entrevista na Runway Magazine, mas a vaga disponível é de segunda assistente da editora chefe. Andrea aceita ir à entrevista, afinal, ela poderá tornar-se jornalista futuramente uma vez que já trabalhasse no local e a vaga aparecesse. Quando Andrea chega com suas roupas “comuns” à entrevista e sem nenhuma informação, pois ela nunca foi ligada em moda, logo é descartada pela editora. Porém, sua sinceridade durante a entrevista faz com que ela consiga o emprego.

O que ela não sabe é que sua nova chefe Miranda Priestly é uma mulher amarga que não aprecia o trabalho dos outros e está focada em testá-la até que ela perca os limites.

Achei a proposta da história ótima e tinha tudo para dar certo, mas a narrativa foi cansativa e repetitiva. A personagem de Andrea dando tudo de si para agradar a chefe que sempre acha um jeito de perturbá-la um pouco mais.

Talvez, apenas talvez, ela envenene-se com alguma coisa crua e exótica e então seremos todos soltos de sua teia de rancor. Eu dei uma última tragada antes de apagar o cigarro e disse a mim mesma para ser racional. Você não quer que ela morra, eu pensei, me espreguiçando no banco de trás. Porque se ela morrer, você vai perder a esperança de matá-la com suas mãos. E isso seria uma pena. (Tradução livre)

 

Como eu disse, eu abandonei esse livro e não tenho orgulho em dizer isso. Nunca passei da página 200. A leitura foi muito cansativa e pesada e a diagramação do livro original é muito confusa para os olhos. A vida é muito curta para ler um livro ruim com tantos livros bons esperando na estante.

E vocês, já leram?

Beijos!

Comentários

comentários

Only registered users can comment.

  1. Nossa…uma pena você ter abandonado o livro, mas quando a leitura nao anda, nao da mesmo! Essa coisa da diagramaçao confusa também pode ter atrapalhado bastante, odeio livros com diagramaçao ruim. Seu blog tá com tudo tao fofinho! Parabéns!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *